sábado, outubro 14, 2006

SOS Ponta Negra

O Movimento SOS Ponta Negra, que começou há menos de um mês, para defender a preservação de um dos cartões postais mais importantes e conhecidos da capital potiguar da sanha das construtoras, que querem fazer em Ponta Negra um paredão de prédios como em Copacabana, vem sofrendo ameaças de processo para um dos seus mais ativos membros, o jornalista Yuno Silva, organizador do movimento, que mantém o blog [www.sospontanegrablogspot.com], como referência para quem quer entrar na luta.
Yuno Silva pretende recolher assinaturas para um abaixo-assinado em defesa do Morro do Careca. ‘‘Nossa pretensão é de recolher umas cinco mil assinaturas para legitimar ainda mais o Movimento, porque os empresários estão indo à imprensa dizer que o prefeito Carlos Eduardo Alves está defendendo uma minoria. E a gente quer mostrar que não é bem assim e que a mobilização continua’’, disse o jornalista.
O combate começou dirigindo-se às construções de prédios na Rua José Bragança, nas imediações do Morro Careca. A adesão da comunidade natalense vem crescendo de forma surpreendente, tendo sensibilizado o poder público para o problema, levando o prefeito Carlos Eduardo Alves a sugerir à Procuradoria do Município e órgãos ambientais a revisão da Lei que regulamenta o Plano Diretor de Natal.
Nesta segunda-feira, dia 16, às 14h, na Câmara Municipal, haverá Audiência Pública para tratar do novo Plano Diretor e do futuro da área próxima ao Morro do Careca, além da transformação (ou não) da Vila de Ponta Negra em Área de Interesse Social. As rendeiras de bilro, pescadores, os Mestres dos Congos de Calçola, Pastoril e Capoeira agradecem a atenção.
Reproduzimos a seguir a Carta do jornalista Yuno Silva à imprensa, tendo ficado surpreso com a decisão anunciada pelos construtores de vir a processá-lo. O jornalista informa, contudo, que já esperava ser alvo de pressões.
Acompanhe toda essa mobilização no blog SOS Ponta Negra, aqui. (Foto)

3 comentários:

Lefebvre de Saboya disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Lefebvre de Saboya disse...

Eu morei aí em 86, 87. Lembro que o cabo do telefone vinha pela estrada (hoje é avenida), entrava na minha rua e parava na minha casa. Os (poucos) vizinhos ficaram realmente brabos com isso. Tudo era muito difícil naquela época. Talvez meu pai, involuntariamente, tenha começado a urbanização da PN.

Desculpa. Não foi nossa intenção.

HEhhehee

O morro do careca era bem longe, com nada em volta. Nem sei como está hoje. Uma vez um pescador me contou que o morro cobria um castelo, depois que um bruxa lançou uma maldição. Eu acreditei...

tertu disse...

paulo,
excelente a força que vc está dando.já entrei no abvaixi-assinado.vamos divular mais!
abs. tertuliano